contato@elementa.site
3
nov

Persona

Você sabe quem é e quais são seus principais valores?

A pergunta parece estranha mas penso que poucas pessoas conseguem responder isso de forma simples, direta, segura e rápida.

O assunto é mesmo polêmico e profundo, mas você já pensou que a confusão e dificuldade em responder ás perguntas acima pode ter haver com o fato de que num só dia somos diversas Personas?

Para ilustrar um pouco melhor a última pergunta acima, importante contextualizar o sentido aqui dado a palavra Persona.

No caso deste texto estamos tratando do Persona correlato às máscaras teatrais que representam personagens e não o Persona pertencente ao conceito da psicologia analítica.  Isso posto quero aprofundar ainda mais minha provocação.

persona2

Será que cada Persona que representamos no decorrer do dia ou da vida tem princípios e valores próprios?

Confesso que vivo às voltas com essas perguntas e quanto mais penso me parece chegar perto da minha resposta. A percepção que tenho é a de que a despeito das Personas que possamos ser ou representar, nossa essência é única, ou seja, a casca muda, mas o que está lá dentro no âmago, no íntimo é um só.

Exemplo: Quem me conhece na vida corporativa e somente nela, possivelmente estranharia ao me ver na rua no fim de semana. São “outfits”, posturas, abordagens e linguagem diferentes, claro salve exceções de eventos e compromissos sociais que exijam o meu Personna de bom moço e comportado. Mas isso não muda a minha essência e os meus valores, são apenas cascas aparentemente antagônicas, não que eu seja um bipolar depravado, mas de fato percebo muitas mudanças ao menos externas.

persona3

A primeira vez que tomei contato consciente deste tema foi há uns 8 anos atrás quando fiz um curso promovido pela Psicóloga, atriz e diretora de teatro Nany di Lima cujo título era Personna, com dois n´s.

Curso talvez não seja o termo apropriado, pois haviam atividades práticas muito interessantes e que me fizeram descobrir o quanto representamos inconsciente e conscientemente no dia a dia.

Pesquisando um pouco mais sobre a Nany já que perdi o contato com ela meses após nossas atividades vi num blog de divulgação do Personna a seguinte citação que traz muita luz ao tema.

O mundo todo é um palco. Todos os homens e mulheres são atores e nada mais. Cada qual cumpre suas entradas e saídas, e desempenha diversos papéis em sua existência.”  – William Shakespeare

Ok Mr. Shakespeare mas como tratar as situações de pessoas querendo viver a vida do outro, muitas vezes motivados pelo olhar unilateral do resultado da grama verde do jardim desconsiderando todo o trabalho para que ela chegasse nesta condição, ou seja, aquele olhar míope de considerar apenas o bônus e não o ônus?

E como tratar ainda daquele lado B, sombrio, pervertido ou escuso que todos temos lá dentro mas temos vergonha de admitir?

Bom, chega de provocações e de perguntas, afinal o objetivo mais uma vez foi de suscitar reflexões e trazer à tona mais um tema relevante e espinhoso sobre o qual pouca gente gosta ou tem coragem de escrever.

Curta esta semana mais curta e até breve.